Quando a trip não sai como o planejado

Quem me acompanha por aqui ou nas redes sociais, está esperando faz tempo por esse post (!) ele deveria ter sido o primeiro depois da Eurotrip, mas por forças ocultas do destino, está indo pro ar só agora, me desculpem! rs

O que importa é que finalmente consegui parar pra escrever sobre o quão enrolada foi essa minha viagem. Se você me segue a mais tempo ou convive comigo diariamente, sabe que eu e Guilherme organizamos nossas viagens com bastante antecedência, fazemos roteiros completinhos e pesquisamos bastante informação antes de sair pra qualquer destino. Aliás, quem quiser qualquer roteiro nosso, é só me pedir que mando por email, ok?!

O fato é que essa viagem não foi assim. Primeiro porque quem sempre faz a maior parte do roteiro é o Gui e ele não foi comigo nessa trip. Eu viajei com o meu pai para o casamento da minha irmã, que aconteceu na Noruega e o Gui ficou, pois tinha viagens a trabalho no mesmo período (ele foi pra Colômbia e pro Chile – quem aí viu ele comendo formiga no meu stories?! rs). Então vocês já podem imaginar o que aconteceu né?! Eu fui deixando pra fazer o roteiro, fui deixando e sim, deixei pro último dia. Passei a madrugada antes de embarcar fazendo o roteiro, escolhendo os lugares que iríamos visitar e acreditem, reservando hotel! Estão pasmos?! Então vamos voltar um pouquinho pra vocês entenderem tudinho!

Eu nem sei como a gente conseguiu fazer essa viagem, porque aconteceram tantas coisas ruins, tantos empecilhos, que juro, deixei pra fazer o roteiro no último minuto porque eu não estava acreditando que a gente iria embarcar. Tudo começou com meu pai trabalhando em outro estado, com acesso restrito a internet e pouco contato. Então tudo que a gente tinha que conversar e resolver dessa viagem, tinha que ser quando ele voltava pra São Paulo, o que acontecia de quinze em quinze dias.

Foto: Pixabay

Depois que minha irmã definiu o dia do casamento, começamos a buscar passagens. Foi então que meu pai decidiu aproveitar que iríamos pra Noruega, e quis conhecer outros países também. Definimos os lugares e então, depois de dois meses, conseguimos encontrar passagens boas e que atendiam nossas necessidades, pra todos os destinos. Feito isso, fomos agendar a renovação dos nossos passaportes, que até então, estávamos tranquilos, afinal, eles ficam prontos em sete dias úteis, a partir da data que você faz a entrevista. Cara, aí veio o governo e ferrou com tudo com aquela putaria de falta de papel (falei sobre isso aqui) pra emissão dos passaportes. Pois bem, nossa entrevista já estava agendada e fomos mesmo assim, afinal, sem passaporte, ninguém viaja pra Europa né?!

O desespero foi ficando cada vez maior, a data do embarque estava chegando, o motivo da nossa viagem não caracterizava emissão do passaporte de emergência e então apelamos pra ajuda de uma amiga advogada, que entraria com uma ação pra ver se conseguiríamos a liberação dos nossos documentos. Nada feito, prazo apertado e então, com dois dias de antecedência do nosso embarque, fomos até a Polícia Federal da Lapa, onde são emitidos os passaportes de emergência, e com alguns contatos na manga, conseguimos a emissão dos passaportes de emergência. Foi um sufoco, uma grana desgraçada, um desespero e sim, só tivemos a certeza do embarque dois dias antes.

Além de tudo isso, tínhamos que lidar com a sensação de saber se nossos passaportes seriam aceitos em todos os países que entraríamos, já que alguns países não aceitam o documento de emergência, e inclusive, li casos na internet de pessoas que foram barradas na imigração da Alemanha, por exemplo, e tiveram que aguardar o Consulado Brasileiro resolver o problema. Enfim, aquela angústia a cada passada na imigrações, mas que no fim, deu tudo certo!

Casamos a minha irmã, meu pai conheceu os lugares que mais queria nesse mundão e ainda nos livramos de um atentado em Barcelona! Sim, estávamos na Rambla no mesmo dia, mas nossa sorte foi tanta, que saímos cerca de uma hora antes do ocorrido pra encontrar um casal de amigos. E eu ainda conheci a Sagrada Família, o lugar mais especial pra mim nesse mundo inteirinho. Ou seja, mesmo sem um roteiro perfeitinho, sem hospedagens reservadas com antecedência e tendo tudo pra dar errado, nossa viagem deu certo e foi incrível!

Diante de todos os problemas que enfrentamos, meu pai sempre me dizia: não se preocupe, nós vamos embarcar e vamos casar a sua irmã. Confesso que não acreditava que isso seria possível, mas ele me fez acreditar, e foi! Portanto, nunca perca a fé e sempre acredite nos seus sonhos. Parece clichê, mas é a mais pura verdade. Você atrai o que você emite pro mundo!

Nenhum comentário

Enviar um comentário