O Velhão na Serra da Cantareira

No último domingo eu e o Gui levantamos, e diante do sol maravilhoso que estava fazendo, resolvemos dar um pulo até a Serra da Cantareira, mais precisamente em Mairiporã, pra conhecer o complexo O Velhão, bem famoso por lá. Fazia tempo que a gente queria ir lá pra comer no restaurante e conhecer mais de perto.

Bom, como vocês sabem, só trabalhamos com resenhas sinceras por aqui, então senta que lá vem texto sincerão! rs foi decepcionante, confesso. Vou falar isso aqui mais uma vez, mas sinto que é a mais pura verdade: quanto mais você conhece lugares diferentes e incríveis, mais você fica criterioso e é isso o que tem acontecido com a gente! Não gostamos do restaurante As Véia, que é como é chamado o restaurante do complexo.

Vamos do começo. É longe! Pelo menos pra quem mora no ABC. Cerca de uma hora pra chegar até lá. A localização é boa, porém do lado de fora não tem nada dizendo que o lugar é ali, você vai por dedução (e com a ajuda do Waze também! rs). O estacionamento custa R$ 25 pelo período todo, mas é muito pequeno e não cabem muitos carros, portanto, chegue cedo, ou pare na rua, como fizemos.

Depois que você entra, você começa a entender as coisas por lá. É uma pequena “vila” com algumas lojas, restaurantes e um café, num ambiente bem antigo, com construções de tijolinhos que confesso, me agradariam bastante se não fosse o nítido abandono. Dizem que o ambiente é inspirado nas antigas vilas italianas, não posso dizer se é verdade porque ainda não conheço a Itália! rs bom, de tudo que tinha lá, gostei de uma das lojinhas que é especializada em café, então tem coadores, xícaras, moedores, etc. as outras lojas não me interessaram e o bar e a cervejaria estavam fechados.

Ficamos tentados a comer no As Pizza, restaurante italiano que tem por lá também, mas como fomos até lá conhecer o famoso restaurante As Veia, seguimos com o plano inicial. Entramos, pedimos pra conhecer tudo primeiro e uma pessoa nos acompanhou e mostrou todos os salões. Optamos por sentar no salão principal. Lá é assim: as comidas quentes ficam no salão principal, perto da churrasqueira (que não está incluso no menu fechado), aí as saladas ficam em outro salão, junto com as sobremesas (que também são cobradas a parte) e num terceiro salão são servidas as massas.

A comida típica do lugar é brasileira, mas não é uma comida saborosa, daquelas que você come com gosto, sabe?! Achei tudo muito comum e sem aquele sabor surpreendente, faltou tempero. Além disso, achei as opções bem simples. As massas oferecidas por exemplo, se resumiam a lasanha, nhoque ao sugo e algum macarrão sem nenhum molho especial. Confesso que pra mim foi decepcionante. Tão decepcionante que depois nem fomos no café pra tomar aquele expresso pós almoço! rs

Vale lembrar que o restaurante serve café da manhã antes do almoço aos sábados, domingos e feriados, que vai das 9h até as 11h e custa R$ 40  por pessoa. O almoço varia de valor de acordo com os dias. No domingo é o dia mais caro e pagamos R$ 58 por pessoa. E como eu disse anteriormente, o churrasco é cobrando a parte (R$ 10 o prato) e a sobremesa também.

 

Nenhum comentário

Enviar um comentário